Tudo Pela Ciência

Archive for the ‘Relacionamentos’ Category

Então, cá estava eu, na minha TPM, relembrando e refletindo sobre fatos que ocorreram (e ocorrem) comigo e minhas amigas. Isso mesmo, FATOS VERÍDICOS que mais parecem terem sido tirados de alguma comédia americana. Analisei como a cara de pau masculina tem crescido ultimamente, tomando proporções nunca antes imagináveis neste país e, seguindo esta linha de raciocínio, resolvi criar um breve manual de boa (excelente) conduta para ajudar nossos queridos, afinal ficar só reclamando é muito fácil e pouco útil!

Agora, pois:

  • Favor, não cheguem nos puxando pela cintura, cabelos, braço e afins. Santa paciência!
  • Meninos, beber é massa, mas tudo nessa vida tem limites, Okay? Ficar caindo em cima da gente, falar nada com p%^#* nenhuma, sem falar do vomito nem ninguém merece!
  • Tentem ser educados! Se apresentem e tentem desenvolver uma conversa interessante afinal você não está atrasado para pegar o trem!
  • Banho, perfume e desodorante fazem um bem à saúde, sabiam? Higiene sempre está em alta! O mesmo acontece com a escova e pasta de dentes.
  • Moda não é coisa de gay! O vestir nada mais é que a forma de demonstrar um pouco da sua personalidade, tipo um cartão de visitas. Pensem nisso!
  • Se no meio da noite bater aquela vontade e você não conseguir controlar o “vamos pra algum lugar mais tranqüilo”, e a gata não topar, por favor, não façam um “caludum”, uma mau criação no meio da festa, isso também acontece!
  • Ligar pra “ex”, bêbado de madrugada é uma péssima idéia;
  • Iludir, enganar, mentir, usar. Esses verbinhos quando relacionados a outro humano são ridículos e deprimentes! Acredite: Eles tornam o autor da ação ridículo e deprimente!
  • Local público não é lugar para a famosa “DR”!
  • Esquecer que está acompanhado, paquerar outras ou simplesmente não dar atenção a sua respectiva é triste!
  • Passar outra mulher na cara da atual “paquerinha” é coisa de palhaço, imbecil, infantil e com sérios desvios de caráter;
  • Saber “chegar na pessoa” é essencial;
  • Cavalheirismo não faz mal a ninguém e educação é sempre bem vinda!

Espero que este manual sirva de ajuda para alguns ou ao menos passatempo.

Mais uma vez, Tudo Pela Ciência!

Beijos *-*

@LollyAndrill

Era uma brincadeira, flores para Yemanjá, colar azul e roupa branca, onda forte.

Onda forte que, mesmo sem a gente saber, tinha uma finalidade: Lavar as culpas, o passado; Banhar a alma e acalentar o corpo. Sua força era pra abrir caminho.

E a luz do dia era linda e fez o sol iluminar meu sorriso, minhas idéias. E como a claridade contagia, eu fui contagiando até fazê-lo perceber que já era meu. E esse sim seria um caminho sem volta.

Sempre tive em mim algumas princesas…

A Cinderela se perdeu junto com seu sapatinho, desde o dia em que o principe só pegou um pé pq era de cristal, o que daria um certo dinheiro com a revenda;


A minha Branca de Neve morreu quando comeu a maça envenenada pela mentira, ódios…

A Rapunzel cansou de ser escada e foi embora também. Tentei explica-la a importancia de ajudar as pessoas na sua trajetória, mas ela me mostrou que no final sempre estava no alto da torre sozinha

A bela conseguiu me convencer que a Fera não era principe nenhum, que já tinham sido milhares de beijos, promessas de amor eterno e ele lá: farra, cerveja e futebol, nada pra ninguem! A Fera era fera mesmo.

A Chapeuzinho Vermelho passou o carnaval em Salvador e voltou achando massa o Lobo Mau falar que vai comê-la ! Sem jantar, sem flores, sem vinho, sem tapeação nenhuuuma !??!! Sem pedir seu msn, orkut, telefone, twitter????!!!!

Foram-se as princesas, ficou a menina, que teima em acreditar no conto de fada.

Venho há alguns dias pensando como momentos podem mudar as nossas vidas.

Há exatos 4 anos algo mudou muita coisa em mim. Existia uma menina que virou uma mulher, e uma dramática, que virou ainda mais.

Naquele dia 26 de Fevereiro de 2006 dois corpos se juntaram, palavras se embolaram… A única coisa que ficou imóvel foram as almas, elas nos observavam de longe.

Calma, o coração estava lá, ainda está! Mas, o desejo falava alto, o carinho sorria meigo, e o ego gritava forte, ainda grita.

Nunca nos demos ao direito das almas se aproximarem. É que sobrava medo, faltava coragem de arriscar, ou será que a palavra certa seria riscar? Riscar um passado que aperta, que magoa e que às vezes mente a verdade de todo esse aprisionamento.

Aprisionamento? Preso em verdades, na vida real, que não nos deixou viver o conto de fadas.

Não vamos mentir pra a gente, não é que não haja amor, o que sobra é racionalidade… Talvez não convivam bem juntos;

Enquanto a vida passava fomos vivendo nosso mundo paralelo, às vezes encantado. Erramos muito, acertamos também, nos desejamos demais.

Sobre as decepções? Aprendi que ninguém decepciona a gente, nós que criamos expectativas, vontades unilaterais.

Hoje, exato 4 anos, a vontade é de enterrar o passado, seguir em frente, desejar felicidades e principalmente agradecer pela mulher que ajudou a me tornar.

@PatSsilva