Tudo Pela Ciência

Posts Tagged ‘Conto de fadas

Sempre tive em mim algumas princesas…

A Cinderela se perdeu junto com seu sapatinho, desde o dia em que o principe só pegou um pé pq era de cristal, o que daria um certo dinheiro com a revenda;


A minha Branca de Neve morreu quando comeu a maça envenenada pela mentira, ódios…

A Rapunzel cansou de ser escada e foi embora também. Tentei explica-la a importancia de ajudar as pessoas na sua trajetória, mas ela me mostrou que no final sempre estava no alto da torre sozinha

A bela conseguiu me convencer que a Fera não era principe nenhum, que já tinham sido milhares de beijos, promessas de amor eterno e ele lá: farra, cerveja e futebol, nada pra ninguem! A Fera era fera mesmo.

A Chapeuzinho Vermelho passou o carnaval em Salvador e voltou achando massa o Lobo Mau falar que vai comê-la ! Sem jantar, sem flores, sem vinho, sem tapeação nenhuuuma !??!! Sem pedir seu msn, orkut, telefone, twitter????!!!!

Foram-se as princesas, ficou a menina, que teima em acreditar no conto de fada.

Anúncios

Venho há alguns dias pensando como momentos podem mudar as nossas vidas.

Há exatos 4 anos algo mudou muita coisa em mim. Existia uma menina que virou uma mulher, e uma dramática, que virou ainda mais.

Naquele dia 26 de Fevereiro de 2006 dois corpos se juntaram, palavras se embolaram… A única coisa que ficou imóvel foram as almas, elas nos observavam de longe.

Calma, o coração estava lá, ainda está! Mas, o desejo falava alto, o carinho sorria meigo, e o ego gritava forte, ainda grita.

Nunca nos demos ao direito das almas se aproximarem. É que sobrava medo, faltava coragem de arriscar, ou será que a palavra certa seria riscar? Riscar um passado que aperta, que magoa e que às vezes mente a verdade de todo esse aprisionamento.

Aprisionamento? Preso em verdades, na vida real, que não nos deixou viver o conto de fadas.

Não vamos mentir pra a gente, não é que não haja amor, o que sobra é racionalidade… Talvez não convivam bem juntos;

Enquanto a vida passava fomos vivendo nosso mundo paralelo, às vezes encantado. Erramos muito, acertamos também, nos desejamos demais.

Sobre as decepções? Aprendi que ninguém decepciona a gente, nós que criamos expectativas, vontades unilaterais.

Hoje, exato 4 anos, a vontade é de enterrar o passado, seguir em frente, desejar felicidades e principalmente agradecer pela mulher que ajudou a me tornar.

@PatSsilva